Pesca, água e floresta Sagrada

Ao chegar na comunidade observamos uma sinalização referente ao um projeto da WWF que falava sobre algumas proibições de práticas de pesca naquele rio. No Laos qualquer pessoa pode pescar o quanto quiser, havendo regulação apenas sobre as técnicas de pesca. Nosso tradutor explicou algumas delas como: uso de bombas, venenos e choque elétrico. Ouvimos em outra vila que por um tempo se jogava veneno nas aguas para matar os peixes e pega-los mais adiante no rio, mas que agora a regulação esta mais intensa e não se pratica mais isso. Descobrimos que essas práticas de pesca causaram uma diminuição de indivíduos de peixe no rio numa região com elevada biodiversidade aquatica, motivo pelo qual esse projeto está tentando conscientizar a população sobre os riscos dessas práticas.

Iniciamos uma conversa debaixo de uma pequena casa na vila, onde encontramos alguns homens e mulheres fumando um tabaco local. Os homens enrolavam grande charutos em folhas de bananeira e a mulher fumavam em um Boeing de bambu (um grande cachimbo). Por ali enrolamos um charuto com folha de bananeira para interagir e experimentar…


Enquanto davamos alguma baforadas conversamos sobre uma floresta sagrada que a comunidade preservava por ali… Foi muito interessante descobrir a relação dessas e de outras comunidades com as florestas. Em diversas comunidades eles cultuam o espirito da floresta e tem grande áreas preservadas por serem a morada deles. Muitos já nem lembram mais do motivo por que são sagradas…simplesmente a respeitam e percebem a abundancia do rio como um indicio da felicidade dos espiritos da floresta… Pra nós é um grande exemplo de Zona 5 – termo usado na permacultura ou unidade de conservação… mas de uma forma bem natural. Essa é uma tradição que vem da enorme quantidade de tribos e etinias existente no país. Não foi necessário nenhuma pessoa, orgão, governo, decretar que aquela área é preservada… as próprias comunidades por conta própria já o fazem vendo a sagrada conexão de tudo, o que legitima mais do que qualquer cartório.

Nessa comunidade especificamente umas das reposta pela sacralidade da Floresta foi: “Simplesmente por que a floresta é quem gera a água pra gente, pro rio…” arrepios…

Pudemos chegar na borda dessa floresta já que a comunidade não permite a entrada de gente ou animais de criação, nem a extração de nada, nem cogumelo, da floresta… Nela fazem um ritual de tempos em tempo ao espíritos da floresta.

No Laos, os espiritos (Phi) estão por toda parte. Ha os espíritos de cada casa, de cada barco, dos animais, das florestas, das aguas… e à todos eles são feito oferenda de alimentos, fumo, incensos e orações. Essa cultura animalista de culto a natureza e aos espíritos coexiste com o Budismo e é vista em cada casa ou comercio por onde passamos.

Numa vila próxima a Atapul, pudemos adentrar em sua floresta sagrada que é preservada e adorada. A floresta é muito antiga e possui árvores muito grandes e frondosas. Tal área se situa nas margens do rio Sekong e é um dos locais onde os moradores se reúnem para assistir a famosa corrida de barco. Um morador nos contou que em 1969, o governo autorizou que pessoas de outra localidade viessem cortar a madeira dessa floresta para a construção de uma escola. Segundo ele, todos as pessoas envolvidas no corte morreram. Isto interrompeu a extração de madeira reforçou o respeito e cuidado a essa floresta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s